19 de outubro de 2018

Vai viajar para um lugar (muito) frio! Como se vestir?

O inverno no hemisfério norte está acabando e o daqui ainda demora, eu sei. É que este pode ser um bom momento para comprar roupas de inverno. Se você está planejando suas próximas férias e encontrar alguma oferta ou liquidação por aí fica mais fácil saber o que comprar, ou não!

Nós adoramos o inverno e normalmente viajamos para destinos onde o tempo é mais frio. Às vezes, gelado. Janeiro é um mês, a nosso ver, perfeito para viajar... para o hemisfério norte!

Durante e depois da viagem para a Letônia percebi que muita gente se assusta ou nem imagina o que seja encarar um inverno rigoroso de verdade. Conversando mais um pouco, notei que há um total despreparo para organizar uma viagem como essa, no que diz respeito ao guarda-roupas.

No Brasil usamos tecidos mais leves e, por vezes, passamos frio em alguns dias do ano. Nossas casas, lojas, escritórios, escolas etc não tem aquecimento, o que nos faz passar frio dentro ou fora de casa, de dia e de noite, para dormir ou tomar banho, ou seja, SEMPRE.

E assim pensamos que isso se repete em países mais frios, o que não é verdade.

Dentro dos lugares sempre há aquecimento e uma blusinha qualquer já é o suficiente. Para sair na rua, roupas adequadas sempre dão conta do recado. E quando digo roupas adequadas não estou falando de um monte de blusas de moletom, por favor.

Por esta razão resolvi escrever este post com dicas de roupas que realmente funcionam e, de quebra, alguns endereços em Paris, Riga e Nova York para você comprar roupas de inverno sem se descapitalizar.

Vamos às peças fundamentais:

* segunda pele:

Usar um conjunto de calça e blusa com tecido térmico é fundamental. Existem roupas térmicas adequadas para temperaturas mais amenas e para as mais baixas, frio extremo. Essas roupas são muito finas, o que permite que você as use por baixo de sua roupa comum, e são muito confortáveis.

Na Letônia pegamos até 26ºC negativos e a calça térmica para frio extremo por baixo dos jeans foram o suficiente.

É possível encontrar peças de qualidade antes mesmo de começar a sua viagem, aqui no Brasil mesmo. A filial da loja francesa Decathlon tem muita coisa para esportes de inverno. Temos roupas térmicas compradas lá que são muito boas.

No Brasil algumas lojas que vendem artigos para motociclistas também vendem roupas térmicas além, é claro, de lojas de equipamentos esportivos. Esses itens podem ser facilmente encontrados junto com artigos para snowboarding, esqui, montanhismo etc.

Em Paris uma boa pedida para comprar roupas térmicas é a loja Uniqlo. São baratas e de excelente qualidade. Outra grande vantagem da Uniqlo é a variedade de modelos: camisetas de manga curta, blusas de alcinha, camisetas com sutiã incorporado, com decote cavado, gola alta e sei lá mais o quê. Vale muito a pena.

A Uniqlo existe também em NYC. Outra boa loja para comprar segunda pele térmica é a REI, loja gigante de artigos de aventura. Lá  variedade é impressionante e é possível encontrar segundas-pele de todo material e preço. Existe até de lã merino, que é cara, mas vale cada centavo.

* meias:

Vale a pena prestar atenção nas meias, principalmente se a sua bota não for lá grande coisa. As meias de snowboarding são ótimas para aqueles dias em que você sabe que vai caminhar muito: são grossinhas e bem compridas, o que já garante uma proteção a mais para as canelas!

A Uniqlo tem meias térmicas excelentes: são finas e compridas (acima dos joelhos). Melhor de tudo: são muito baratinhas. E se você ficar de olho e der sorte pode conseguir comprar 2 pares por 3 dólares! Juro: foi isso o que paguei em fevereiro deste ano. Comprei um monte, lógico!

* botas:

Se você pretende caminhar pela cidade loucamente (como nós fazemos!) vai precisar de botas adequadas. Elas precisam ser à prova d'água ou, pelo menos, resistentes. Importante também é verificar se são respiráveis (sim, minha gente, o suor sai e o frio não entra!)

Neste quesito, não invente. Ou você terá problemas. Acredite.

Na Decathlon aqui no Brasil existe uma boa variedade de botas para o inverno mas, veja bem, são mais adequadas para esportes... são coloridas e tal. Nada demais se você não se incomodar, mas isso pode acabar limitando as escolhas de restaurantes e outros lugares para visitar no seu destino por não estar devidamente vestida para a ocasião.

A Decathlon de Paris tem mais variedade de calçados para o inverno. Outra loja bacana, não tão cara e com sapatos mais finos, masculinos e femininos, é a veterana Salamander. Existem muitas lojas Salamander e também é possível encontrar sapatos desta empresa em lojas de departamentos, lojas de calçados e, é claro, até na Amazon.

Uma coisa importante para comprar sapatos de inverno, e outros itens também, é que alguns trazem um tipo de escala de adequação ao frio chamada que varia de acordo com o tipo de isolamento usado e com o fabricante. São várias as escalas. fique de olho na etiqueta e verifique para qual intervalo de temperatura aquele calçado é indicado.

* Roupas "normais":

Sim, você vai usá-las. E muito.

Pense que será preciso tirar o casaco em todos os lugares que você entrar. É bom se preocupar com a roupa que está usando!

Para usar por cima da segunda pele é legal levar camisas (que não amassem facilmente) ou suéteres e coletes de lã mais finos. Tenha em mente que os lugares são aquecidos e você não conseguirá ficar com seu casaco e todas as outras coisas mais mais do que um par de minutos.

Esteja, ao menos, apresentável. Hehehehe!

* Gorro, chapéu, capuz do casaco ou protetor de orelhas?

Escolha qualquer um, mas escolha!

O Carlos usa chapéu de lã na maioria das vezes. Usamos os gorros regularmente e eu gosto muito da combinação de protetor de orelha e capuz do casaco. Acho que nossas preferências foram se desenhando na medida em que conhecíamos melhor "como" e "onde" sentíamos mais frio.

Não saberia dizer qual deles é o melhor para proteger a cabeça do frio, mas afirmo que é necessário manter a cabeça aquecida para continuar se divertindo na viagem.

* Cachecol:

Eu acho bonito, mas não uso muito. O Carlos também não. Motivo: é difícil de carregar quando é preciso tirar. Honestamente, acho que é esse o motivo.

Temos uns tubos de tecido térmico que fazem a função de cachecol e, para nós, funcionam muito bem.

Questão de gosto.

* Casaco:

Esse item é importante!

Você precisa de, pelo menos, UM casaco realmente bom. E não é necessário gastar uma fortuna para isso. Juro. Calma que já vou te ensinar o "pulo do gato".

Vai para um lugar frio, mas não congelante, um casaco normal combinado com segunda pele térmica e um suéter fininho de lã já são mais do que suficientes. Um "doudune" é uma ótima pedida: aquece eficazmente e, quando não está em uso, pode ser enrolado e guardado em um saquinho. Muito prático, levíssimo e ocupa pouquíssimo espaço na bagagem. E tem bônus: se a previsão do tempo errar e o calor aparecer vc só precisa carregar a pequena bolsinha!

A Uniqlo é a marca mais famosa deste tipo de casaco. O preço não é alto para a qualidade/vantagem que este casaco tem: algo em torno de 60 dólares nos EUA e o equivalente em euros na Europa. Eu não viajo sem o meu.

Se o seu destino é um lugar muito frio, mas que não neva ou neva pouco, você pode usar um casaco de lã, daqueles mais pesados. Muitos lugares vendem este tipo de casaco mas, se está pretendendo ir a Nova York, reserve um tempinho para buscar o seu na Burlington. O lugar é caótico, mas você pode encontrar boas pechinchas em casacos de boas marcas. Em 2015 eu encontrei um da marca italiana  Tumi, preto, comprido até o joelho, de lã e impermeável por 115 dólares. Em fevereiro deste ano garimpei um Michael Kors, também preto e longo, por 90 dólares. E olha que estes são casacos caros, viu? Dá pra encontrar opções ainda mais em conta. Mas é preciso procurar pelas longas araras...

A Macy's também é uma boa opção na época de liquidações. A REI também tem bastante coisa.

Mas, se você vai visitar um lugar com muita possibilidade de nevar, seu casaco deve ser apropriado para isso, ou seja, deve ser impermeável.

Você pode optar por umas jaquetas de snowboarding ou de esqui também. Elas são ótimas porque, além do isolamento apropriado para a prática de um esporte na neve, tem um sem número de bolsos e outras traquitanas que permitem que você não precise de uma bolsa, por exemplo. Alguns modelos são espalhafatosos, mas é possível encontrar versões bem comportadas também.

Eu tenho uma da marca Spider e é minha paixão: tem um elástico no forro interno que prende bem a cintura. Assim o frio não entra de jeito nenhum. Bolso na manga que é ótimo para colocar o cartão do metrô, tem lugar para os óculos escuros e outras mil utilidades.

Existem outros casados que não tem essa cara de tão esportivos mas que são igualmente preparados para proteger do frio. Alguns tem o mesmo sistema dos calçados e utilizam uma escala de adequação para o frio, assim você fica sabendo para qual intervalo de temperatura o casaco foi confeccionado.

Eu tenho um ótimo casaco/parka da marca O'Neill que me serviu perfeitamente na congelante Letônia. Tem um montão de bolsos (na parte interna, inclusive) e, no capuz, um barrado de pelos falsos. Ah! foi na Letônia que aprendi que aqueles pelos não são só enfeite. Eles servem para "segurar" os floquinhos de neve, impedindo que caiam no seu rosto!









31 de maio de 2018

Maria Farinha Cozinha

Muitos dos nossos amigos vivem pedindo recomendações de restaurantes e afirmam que nós sempre temos boas dicas para dar.

Pois bem. 

Decidimos que vamos falar sobre restaurantes gostosos que frequentamos (além das viagens, claro!) aqui no blog.

E, para a estreia, escolhemos falar do Maria Farinha Cozinha, restaurante de comida brasileira/caipira, comandado pela competente e simpática Lisandra Amaral.


Placa anunciando os pratos do dia.
Foto: Jacqueline Hochberg

28 de fevereiro de 2017

Letônia

Na Velha Riga, a Blackheads House, a figura-símbolo da Lituânia em primeiro plano e, à direita, o Museu da ocupação

Por que a Letônia?

Com tanta Orlando e Miami pra se ir, vocês vão, justamente, para um pequeno país do Báltico, com uma economia minúscula e, pra piorar, em janeiro, no auge do terrível inverno deles?

Tivemos um motivo principal que nos levou até lá, e que, oportunamente, talvez divulguemos. E o secundário foi conhecer a Letônia e um pouco deste país distante de nós 13.000 km, difícil de chegar e, mais ainda, apaixonante.

Em nossas pesquisas sobre o país, quanto mais descobríamos, mais ficávamos surpresos - positivamente. Eles sempre foram dominados por outros povos, como os vikings, germânicos e russos (imperiais e soviéticos). Sempre disseram não a estas dominações, com maior ou menor sucesso.

No momento atual, junto com a Lituânia e a Estônia, são chamados de "Tigres do Báltico", membros da Comunidade Européia, cujas economias crescem a ritmo de Extremo Oriente (daí o apelido), são bem independentes e orgulhosos de onde chegaram.

Se você gosta de um turismo mais cultural, recheado de lugares históricos e com muita história interessante - e, para nós, brasileiros, desconhecida e fascinante - gosta de cultura e comida fantástica, e gosta de pagar pouco, este é um destino incrível. Até mesmo as compras podem fazer parte de seu roteiro, já que não é um país caro.

Acompanhe nossa viagem pela Letônia em nosso blog e veja se concorda conosco.

14 de junho de 2016

East River Ferry, Dumbo e Eataly (de novo) - 22/07/2015

Ficamos de manhã no hotel, arrumando coisas diversas, por conta de algumas coisas que teríamos que fazer em NYC.

19 de agosto de 2015

The Jane NYC e o Chelsea/Meatpacking

Não acreditamos que os posts de NYC ficariam completos sem mencionarmos o The Jane, um hotel MUITO diferente de tudo que você pode pensar...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...