25 de julho de 2015

Dia puxado: Governor's Island, Harlem, Empire State - 17/07/2015


No ferry para Ellis Island



Uma das inúmeras áreas arborizadas na ilha. Estes prédios são todos residências e instalações militares.

Dia puxado hoje: fomos a lugares bem diferentes e bem distantes.

Inicialmente, pegamos o ferry no sul de Manhattan em direção a Governor's Island. A ilha, até o começo do século XX, não passava de um rochedo ao sul de Manhattan, na foz do East River.

Aproveitando o entulho da escavação do metrô de NYC, a prefeitura resolveu criar um quebra-mar e ampliar a ilhota que, posteriormente, abrigaria um parque. A idéia deu certo - foi a primeira vez que se tentou este tipo de obra de engenharia (o autódromo de Montreal tb é uma ilha artificial dentro do São Lourenço) - só que, aí, o exército americano resolveu que precisava de um quartel e um centro de treinamento de recrutas em NYC e solicitou a ilha.

Deu briga e, no fim, o exército ganhou. A ilha foi comprada de volta ao governo federal americano pela prefeitura de NYC, pelo preço simbólico de US$ 1.00, durante o governo Clinton. Hoje a ilha é um parque, como na idéia original, e com muito mais atrações.

As diversas casas dos militares são cedidas a artesãos que produzem suas obras e/ou promovem cursos de artes diversas. Aos sábados, há concertos gratuitos com músicos de primeiríssima (algo que não é exclusividade de Governor's Island). Os parques são bem grandes e a ilha está sendo expandida, com mais entulho de obras.

Há um forte do século 19 de onde se tem uma das melhores vistas do skyline de NYC.

O ferry custa US$ 2.00 por pessoa e demora uns 10 minutos pra chegar lá.

Voltando de lá, fomos para o East Village e Harlem. Tomamos um café em um bar cubano típico. Café bom, mas sem ar condicionado.

Café cubano - dia quente e aer condicionado desligado.

Máquina de vender porcarias pras crianças

Decoração em pastilhas, do metrô linha 6, Estação 102nd St.
No Harlem, na Lexington Ave., as lojas são de 3 tipos: cafés, cabeleireiros e barbeiros...

Play-ground e quadra esportiva de uma escola pública do Harlem.
Dali fomos para o Empire State, ainda naquelas de usar o City Pass. Valeu a pena. A visita é instrutivíssima. Há os detalhes da obra do edifício e curiosidades sobre o prédio. Ele foi construído no prazo de 11 meses. Sim, isto mesmo. 11 meses.

Ao contrário de certas estações do metrô de Sampa, que foram inauguradas várias vezes mas nunca entraram em funcionamento, ele foi ENTREGUE 11 meses após o início das obras, que começaram 6 meses após o crack da bolsa de NYC.

Detalhe do terraço do 86o. andar do Empire State
Bike perto do Empire State

Sorvete de chá Earl Grey, de uma loja de chá na 5a x 34th - um dos melhores que já tomei! O espresso é muito bom, também!
De lá, voltamos pro hotel, passando pelo West Village, bairro boêmio, assim como o Chelsea, onde estamos hospedados.

Boteco embaixo, cartomante em cima - não precisa de cartaz colado em poste, aqui eles usam neon...

Loja de rua na 8th Ave.

Uma cartomante em cima e uma loja de arte digital embaixo


Barbearia em Chelsea
Pra quem gosta de uma vida noturna agitada, pode ir pra lá que não vai se arrepender. Aqui também ficam nosso café favorito e pizza favorita da viagem. Mais sobre isto em outro post.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...